Características do Pescado no Estado do Amazonas

Francisco Itelvino Oliveira Brandão*

*Aluno do 4º Período do Curso Tecnológico em Logística, do Centro Universitário Luterano de Manaus, no Segundo Semestre de 2010. E-mail: itelvino.brandao@hotmail.com.

 Resumo

Tendo grande importância para a Amazônia, gerando emprego e renda, o pescado sofre grande abandono governamental; possui frota pesqueira antiga, condições ruins de trabalho e locais de desembarque inadequados; além disso, a politica publica é ineficaz e não coordenada, deixando precário o pagamento do seguro-defeso para quem precisa. Ao analisar o contexto do pescado no Amazonas e diante de um grande aumento no consumo de pescado nos grandes centros urbanos, localizados em toda a extensão da bacia Amazônica, verifica a relevância da realização de uma pesquisa científica que apresente o quadro atual dessa atividade econômica e indique soluções para os problemas atuais. Por tudo isso, o objetivo dessa pesquisa obter e divulgar conhecimentos que possam contribuir com o incentivo a práticas que evitem dificuldades logísticas nas transações operacionais e econômicas do pescado do Amazonas. Apesar de estar ainda no início, a pesquisa em andamento tem mostrado a necessidade da estruturação de uma política pesqueira no Estado do Amazonas.  Embora existam normas que abranjam esses recursos pesqueiros, a exploração pesqueira tradicional Amazônica é a pesca de subsistência; atividade cotidiana praticada de forma artesanal e individual, ou em parceria pelos ribeirinhos. É uma pesca direcionada basicamente para o consumo familiar e, havendo excedente, este é destinado à comercialização na comunidade ou em mercados próximos. O aumento da produtividade do pescado ocorrerá a partir das melhorias na conservação nos porões dos barcos pesqueiros e na prática de criação de um estoque. Além de consumir grande parte do pescado desembarcado nos centros urbanos, é importante destacar que a pesca é responsável por uma grande parcela de renda gerada no setor e que vem aumentando na economia regional, a qual é subestimada quanto à geração de emprego e renda. De acordo com Petrere (2007), aportam diariamente na Panair (porto e feira em Manaus) entre 50 e 80 embarcações, dependendo do período, para o desembarque de pescado. Os resultados dessa pesquisa constarão de um artigo científico a ser entregue ao professor da disciplina Trabalho de Conclusão de Curso, do Curso Tecnológio de Gestão em Logística. Espera-se assim, contribuir para esclarecer acadêmicos, gestores da pesa, pescadores e tomadores de decisão sobre o pescado no estado do Amazonas.

Palavras-chave: pescado, Amazonas, Feira Panair, Manaus, Amazonas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: